Entenda a separação do Dash Berlin

Dash Berlin, projeto holandês criado em 2007 e que bombou na cena do trance a partir de 2009 com o lançamento do álbum The New Daylight, repleto de hits que marcaram a época. Muitos não sabem, ou pelo menos não sabiam, que Dash Berlin é um projeto composto por três integrantes: Jeffrey Sutorius, Eelke Kalberg e Sebastiaan Molijn. O projeto se separou recentemente, em junho, tendo o frontman, Jeffrey saído e seguido carreira solo com seu próprio nome. O projeto sob o nome Dash Berlin continua sob o comando dos outros dois integrantes, porém em hiato.

Em junho, Jeffrey anunciou sua separação do Dash Berlin e da agência Vanderkleij por meio de seu perfil pessoal, visto que foi removido das contas oficiais do projeto. Ele alegou que a relação entre eles já vinha se desgastando há algum tempo, com pressão por parte do seu booker para realizar o máximo de gigs possível, o que estava debilitando sua saúde física e psicológica, e que o projeto também estava com problemas de negligência e má administração na carreira. Ele também afirmou que os outros dois integrantes do grupo registraram a marca “Dash Berlin” apenas sob o nome deles, deixando-o de fora, o que o motivou a entrar com uma ação judicial para tentar resolver o caso.

Jeffrey é conhecido por apresentar performances bastante enérgicas no palco, interagindo bastante com o público

Agora, em outubro, Jeffrey iniciou a sua carreira solo e criou redes sociais sob seu nome. Com o gerenciamento de sua carreira agora sendo feito pela David Lewis Productions, empresa que representa nomes como Armin Van Buuren, W&W, Vini Vici, Fedde Le Grand e outros de grande expressão internacional. Ele manteve um comportamento otimista desde que se separou do popular grupo trance e parece que as coisas estão trabalhando a seu favor, muito também por ser um rosto conhecido na cena e ter sido a grande identidade do Dash Berlin por todos esses anos. Nessa nova fase, ele espera alcançar objetivos que não conseguiu alcançar no projeto anterior.